quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Sexo por trás: sensualidade na hora do prazer ...


Sexo por trás: sensualidade na hora do prazer

 


A penetração vaginal posterior é uma das mais usadas quando fazemos sexo, seja a tradicional “canzana” ou suas variações. É uma posição ideal para estimulação do ponto G e é bastante atrativa.
 
 A canzana é fácil de experimentar. A mulher fica de quatro na posição de gato e apóia-se inclinada sobre a cama, o homem ajoelha-se por trás delas, penetra e a segura no quadril. Alguns homens gostam de colocar as pernas entre as coxas da parceira, enquanto outros mantêm as pernas por fora. Se a mulher deixar as pernas fechadas, a vagina ficará mais contraída. Esta posição garante ao homem grande liberdade para explorar os seios, mamilos e clitóris enquanto penetra.

Para uma variação preguiçosa da posição vaginal posterior, o homem deita-se de costas e a mulher também se deita de costa em cima dele. Os seios e o clitóris terão mais acesso e ele pode desfrutar do deslizar sensual do corpo dela sobre o seu. Nessa posição a penetração não é tão profunda, no entanto lembre-se que a vagina é mais sensível à entrada e, portanto nem sempre o profundo é o melhor. As penetrações superficiais podem ser benéficas para os homens, estimula a glande e o freio que são mais sensíveis (Quanto mais remexer o quadril, mais gostoso fica).

O sexo por trás pode ser divertido também quando feito fora da cama. A mulher ajoelha-se de frente para a cama enquanto o homem a penetra. Quanto mais a mulher se debruça pra frente, mais profunda será a penetração.

Muitas mulheres adoram quando deitadas de barriga pra baixo o homem a penetra. A penetração não é tão profunda quanto na posição tradicional, portanto essa é boa de experimentar se o homem for particularmente dotado. Para melhorar e estimular o clitóris é recomendável colocar um travesseiro debaixo da vulva.

A vaginal posterior é uma ótima posição para introduzir a masturbação e acessórios sexuais. Lembre-se que usar acessórios não é só para mulheres, tente colocar o vibrador sob os testículos dele enquanto penetra para excitar ainda mais. E homens acrescentem mais beijos e afagos no pescoço e ombros para acrescentar mais sensualidade ao ato.

A vaginal posterior é ótima para atingir o ponto G, mas para tornar as coisas verdadeiramente mais quentes é necessário dedicar-se a Zona A. Entre o ponto G e o cervix (cérvice ou colo do útero é a porção inferior e estreita do útero, quando ele se une com a porção final superior da vagina). há uma zona chamada “Anterior Fornix Zone ou Zona A. Descoberta por cientistas que estudavam a secura da vagina em 1996, pode tatear com o dedo para saber onde se concentrar. Primeiro sinta o ponto G, uma estrutura esponjosa a cerca de 5 centímetros de profundidade. Siga até o cervix que se percebe redondo. Tenha cuidado, pode magoar se friccionar com demasiada força. Depois faça os dedos recuarem até ficar a meio caminho entre os dois esta é a zona A, que será fácil de localizar, já que ela começa a gemer.

Durante o sexo a Zona A é mais fácil de estimular por trás. As mulheres muitas vezes experienciam fortes contrações quando a Zona A é atingida. O que dá a sensação que ela está a tentar explulsar o homem. Se isto acontece, o homem deve exercer maior pressão, quanto mais pressão ele fizer, mais excitante será o orgasmo dela.

O sexo por trás é selvagem e oferece ao homem uma boa perspectiva enquanto lhe estimula o ponto G e proporciona grande liberdade para estimular o clitóris. Usem e abusem de acessórios, e também de sua criatividade. Homens adoram essa posição, pois visualizam a mulher de uma forma mais sexy e sensual.

Pratiquem sexo com segurança, usem camisinha!

Sexo por trás: sensualidade na hora do prazer

 


A penetração vaginal posterior é uma das mais usadas quando fazemos sexo, seja a tradicional “canzana” ou suas variações. É uma posição ideal para estimulação do ponto G e é bastante atrativa.
 
 A canzana é fácil de experimentar. A mulher fica de quatro na posição de gato e apóia-se inclinada sobre a cama, o homem ajoelha-se por trás delas, penetra e a segura no quadril. Alguns homens gostam de colocar as pernas entre as coxas da parceira, enquanto outros mantêm as pernas por fora. Se a mulher deixar as pernas fechadas, a vagina ficará mais contraída. Esta posição garante ao homem grande liberdade para explorar os seios, mamilos e clitóris enquanto penetra.

Para uma variação preguiçosa da posição vaginal posterior, o homem deita-se de costas e a mulher também se deita de costa em cima dele. Os seios e o clitóris terão mais acesso e ele pode desfrutar do deslizar sensual do corpo dela sobre o seu. Nessa posição a penetração não é tão profunda, no entanto lembre-se que a vagina é mais sensível à entrada e, portanto nem sempre o profundo é o melhor. As penetrações superficiais podem ser benéficas para os homens, estimula a glande e o freio que são mais sensíveis (Quanto mais remexer o quadril, mais gostoso fica).

O sexo por trás pode ser divertido também quando feito fora da cama. A mulher ajoelha-se de frente para a cama enquanto o homem a penetra. Quanto mais a mulher se debruça pra frente, mais profunda será a penetração.

Muitas mulheres adoram quando deitadas de barriga pra baixo o homem a penetra. A penetração não é tão profunda quanto na posição tradicional, portanto essa é boa de experimentar se o homem for particularmente dotado. Para melhorar e estimular o clitóris é recomendável colocar um travesseiro debaixo da vulva.

A vaginal posterior é uma ótima posição para introduzir a masturbação e acessórios sexuais. Lembre-se que usar acessórios não é só para mulheres, tente colocar o vibrador sob os testículos dele enquanto penetra para excitar ainda mais. E homens acrescentem mais beijos e afagos no pescoço e ombros para acrescentar mais sensualidade ao ato.

A vaginal posterior é ótima para atingir o ponto G, mas para tornar as coisas verdadeiramente mais quentes é necessário dedicar-se a Zona A. Entre o ponto G e o cervix (cérvice ou colo do útero é a porção inferior e estreita do útero, quando ele se une com a porção final superior da vagina). há uma zona chamada “Anterior Fornix Zone ou Zona A. Descoberta por cientistas que estudavam a secura da vagina em 1996, pode tatear com o dedo para saber onde se concentrar. Primeiro sinta o ponto G, uma estrutura esponjosa a cerca de 5 centímetros de profundidade. Siga até o cervix que se percebe redondo. Tenha cuidado, pode magoar se friccionar com demasiada força. Depois faça os dedos recuarem até ficar a meio caminho entre os dois esta é a zona A, que será fácil de localizar, já que ela começa a gemer.

Durante o sexo a Zona A é mais fácil de estimular por trás. As mulheres muitas vezes experienciam fortes contrações quando a Zona A é atingida. O que dá a sensação que ela está a tentar explulsar o homem. Se isto acontece, o homem deve exercer maior pressão, quanto mais pressão ele fizer, mais excitante será o orgasmo dela.

O sexo por trás é selvagem e oferece ao homem uma boa perspectiva enquanto lhe estimula o ponto G e proporciona grande liberdade para estimular o clitóris. Usem e abusem de acessórios, e também de sua criatividade. Homens adoram essa posição, pois visualizam a mulher de uma forma mais sexy e sensual.

Pratiquem sexo com segurança, usem camisinha!

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Usar camisinha torna mais difícil a excitação masculina? Sexo sem camisinha é mais prazeroso?




Usar camisinha torna mais difícil a excitação masculina? Sexo sem camisinha é mais prazeroso?

As camisinhas são projetadas para ser como uma segunda pele e devem ainda permitir que o homem e a mulher sintam prazer. Deve haver razões mais práticas no fato da camisinha estar interferindo com a excitação sexual.
Se o homem está com dificuldade para ficar excitado, pode ser que ele costume colocar a camisinha de maneira imprópria ou deve considerar trocar a marca de camisinha que usa. Muitas marcas tem tipos “ultra finos” ou “super sensíveis” que aumentam a sensação.
A psicologia também pode interferir na excitação. Se o homem é psicologicamente habituado a transar sem camisinha isso pode levar a problemas para conseguir uma ereção.


CONCLUSÃO

O preservativo em si dificilmente é a causa do problema da excitação do homem já que outros fatores, inclusive os psicológicos, podem estar influindo.
Quaisquer que sejam as razões, o casal deve conversar sobre o problema, usar lubrificante íntimo, tentar marcas de camisinhas diferentes ou até ir a um especialista se o problema persistir, mas não deixar a camisinha de lado.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Mitos e verdades do sexo

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Tomar anticoncepcional diminui o desejo sexual


Verdade: Não é usual, mas “em alguns casos, sim. Fica na dependência do tipo de anticoncepcional e da individualidade”, disse Lopes. “Depende da composição da pílula, algumas podem conter doses hormonais que inibem o desejo sexual”, afirmou Carmita. Os medicamentos mais modernos, no entanto, têm doses muito pequenas de hormônio e interferem pouco na libido, de acordo com Cividanes. Apesar disso, a presidente da Comissão Nacional Especializada em Sexologia da Febrasgo, Sylvia Maria da Cunha Cavalcanti, disse que: “existem estudos que apontam evidências que em algumas usuárias de anticoncepcional oral de baixa dosagem este efeito pode ser observado”.  

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Tamanho é documento


 Depende: De acordo com os especialistas, se o órgão sexual é muito pequeno ou muito grande, faz diferença. Segundo o diretor do Hospital CECMI, o urologista Arnaldo Cividanes, o tamanho médio do pênis do brasileiro é de 12 cm em estado flácido e de 15 cm a 20 cm ereto. “Muito abaixo de 15 cm pode gerar menos satisfação e muito acima dos 20 cm pode gerar desconforto”, comparou.

O ginecologista e sexólogo, chefe do setor de medicina sexual do hospital Mater Dei, Gerson Lopes, ressaltou que a relação sexual não se limita apenas ao encontro dos genitais e que a vagina tem capacidade de se adaptar ao tamanho do pênis.
 

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

  Dá para se chegar ao orgasmo com sexo anal


Verdade: “Em geral é difícil, porém em 30 anos de atendimento em sexologia, já ouvi relato de três mulheres que conseguiam orgasmo apenas pelo sexo anal e não pelo vaginal”, contou Lopes. De acordo com a coordenadora do programa de sexualidade na USP, Carmita Abdo, “algumas mulheres conseguem ter prazer orgástico com sexo anal, mas é mais comum com estimulação do clitóris”. “A maioria das mulheres que tem satisfação anal estão se masturbando também, estimulando o clitóris, ela ou o parceiro. Algumas podem ter orgasmo com o sexo anal apenas pelo movimento gerado na hora do ato”, complementou o ginecologista Eliano Pellini. 

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 Sexo na gravidez machuca o bebê


Mito: “O bebê fica dentro de uma bolsa amniótica que o protege além do colo do útero”, disse Lopes. Segundo Cividanes, não há como machucar a criança durante o sexo a não ser com um trauma abdominal. “O homem não vai ficar com o peso sobre a mulher, é ideal tentar posições que não tenha muito contato com o abdômen dela”, alertou. Porém, após o oitavo mês de gravidez, o desconforto da mulher é muito grande e é preciso tomar cuidado com movimentos muito bruscos e tombos para não precipitar o trabalho de parto, segundo Carmita. “Em gravidez de risco, é preciso consultar o médico”, lembrou. 

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

  Sexo anal causa hemorroida


Mito: A prática não causa o inchaço das veias ao redor do ânus, mas pode acentuar um quadro já existente. De acordo com Cividanes, a penetração anal pode deixar o ânus mais “flácido”, mas não prejudica enquanto a esfíncter – musculatura que segura as fezes - estiver preservada. A hemorroida, segundo o urologista, é causada pelos hábitos da pessoa, por exemplo, alimentação inadequada que resseca as fezes e dificulta a evacuação.






segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Quando o assunto é ser discreto, o sex shop online é a melhor ferramenta!

Entre quatro paredes, o que vale é diversão e criatividade. E nada melhor do que apimentar   esse momento com brinquedinhos pra lá de excitantes... E para quem deseja agradar o seu parceiro, existe uma infinidade de produtos como fantasias, perfumes afrodisíacos e outras peças pra lá de interessantes. 


Escolher o melhor artigo é o segredo para dar aquela pitada de excitação na cama, especialmente se você estiver em um relacionamento longo. 

Não se desespere!
Para esse problema, existe uma solução prática e eficiente. Anjo sado sex shop online. Isso mesmo! Hoje podemos encontrar a empresa focada em atender seus clientes, de forma discreta e rápida.
Anjo sado sex shop virtual oferece os mesmos produtos das lojas comuns, mas com um diferencial, você não precisa ir até o local para fazer a sua compra, ou seja, privacidade total!
Vou explicar melhor. As embalagens para envio são totalmente discretas, de forma que absolutamente ninguém irá saber o que você comprou.

Um detalhe...
É muito importante pesquisar com carinho e atenção todos os itens que deseja, antes de efetuar a sua compra. Navegue com calma, leia as instruções dos itens e veja os vídeos.
Pagamento?
Como qualquer loja, as virtuais também trabalham com o pagamento facilitado. Boleto bancário, cartão de crédito e até transferência online são algumas das opções que você vai encontrar.

www.anjosado.com.br

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Pompoarismo: a poderosa ginástica do prazer


Exercícios e acessórios do pompoarismo, técnica que irá apimentar sua vida sexual, transformando-a numa deusa na cama


Mulher sexy


Treine os exercícios todos os dias
Se você nunca ouviu falar em pompoarismo, está na hora de conhecer o assunto. Isso porque a técnica, criada na Índia e aperfeiçoada na Tailândia, pode fazer milagres por seu corpo. Baseada no controle da contração e do relaxamento dos músculos vaginais, tem benefícios físicos, pois protege da flacidez vaginal, causada pelo envelhecimento ou gestações, e previne doenças como incontinência urinária e cólicas.

O passo a passo do pompoarismo
''Em 15 dias, é possível perceber resultados e, em oito meses, dominar a técnica'', afirma a professora Regina Racco. Vale reforçar que o desenvolvimento varia de mulher para mulher e de acordo com o treino.
1. Autoconhecimento

Primeiro, você deve conhecer o próprio corpo. Para isso, explore a região genital usando um espelhinho. Comece massageando a vagina com movimentos suaves e amplos. Não há um roteiro específico a seguir: o objetivo é que você se sinta à vontade e tenha total domínio sobre a região. Quando se sentir bem, passe a contrair e a relaxar a vagina, observando os movimentos no espelho.

2. Músculo no alvo

Está com dificuldade para perceber como deve concentrar a força para contrair a vagina? Um exercício fácil pode ajudá-la: ao fazer xixi, interrompa o jato e conte até dez. Descobriu qual é o músculo a ser trabalhado? Então, agora que já sabe, não repita mais o exercício para não afetar o bom funcionamento da bexiga.

3. Contrações

Elas são essenciais para você conseguir fazer o pompoarismo durante o sexo. Rápida e simples: fique de pé e comece as contrações: ''aperte'' fortemente o canal vaginal e, em seguida, relaxe. Repita 30 vezes. Ao final, inspire e expire profundamente. Esse processo aumenta a libido. Lenta e elevatória: a meta é comprimir todo o canal vaginal aos poucos, como se estivesse sugando algo para o interior do órgão. Pense num zíper sendo fechado: essa sucção deve acontecer da mesma maneira. Vá fechando o canal vaginal de baixo para cima. Depois, de cima para baixo. Prefira fazer isso em frente ao espelho para ver o movimento. Repita três vezes. Vale dizer que as experientes conseguem ''fechar'' o canal vaginal como se ele fosse dividido em três partes - e elas têm total controle sobre cada uma delas. É isso que você deve treinar nesse passo.

Casal
4. Exercícios posturais

Estas atividades podem ser feitas com ou sem acessórios. O ideal é exercitar quatro tipos de movimento por dia durante meia hora, e ir revezando ao longo dos dias.

Em pé: encaixe o quadril, separe os pés e coloque as mãos na cintura. Faça a contração rápida do canal vaginal e
mova o quadril para trás e para frente. Relaxe. Repita 15 vezes.

Na cadeira: sente-se, apoie as mãos nas coxas e mantenha os pés paralelos e separados. Contraia a vagina, conte até dez e relaxe. Agora, contraia lentamente, sugando o canal. Repita dez vezes.

Agachada: contraia o canal vaginal sugando aos poucos e, então, relaxe rapidamente, como se estivesse forçando a saída do xixi. Repita de 15 a 20 vezes.

Deitada: deite de costas para o chão, coloque os braços paralelos ao corpo e flexione os joelhos. Eleve o quadril e contraia o canal. Permaneça assim e conte até dez. Desça e relaxe. Repita dez vezes.

Ajoelhada: fique de quatro, mantenha a coluna reta e comprima o canal. Segure a contração, curve as costas e relaxe. Repita de dez a 15 vezes.

Com almofada: deite de barriga para cima, eleve as pernas e flexione os joelhos, deixando a canela paralela ao chão. Com a almofada entre as coxas, contraia a vagina, conte até 20, e relaxe. Repita dez vezes.

5. Exercícios sexuais

Torcer: de quatro, quando o parceiro introduzir o pênis, contraia com força. Leve o quadril para direita, torcendo o pênis. Relaxe. Repita para a esquerda.

Sugar: com ele deitado de lado, encaixe-se sobre o pênis, mas de maneira que forme a letra ''T'', enlaçando-o com as pernas. Faça a contração lenta e elevatória, sugando o membro.

Massagear: posicione-se em cima do moço para que a penetração seja total. Faça a contração lenta e, em seguida,
relaxe todo o canal. Repita quantas vezes quiser. Vocês devem se manter parados enquanto apenas os músculos vaginais trabalham.

Estrangular: quando o parceiro estiver quase ejaculando, contraia o canal vaginal de forma bem rápida e forte, ''segurando'' o pênis pelo tempo que conseguir. Assim, o orgasmo demorará mais tempo e será longo.

Expulsar: vocês dois já chegaram ao orgasmo? Experimente abrir todo o canal com força para ''expelir'' o pênis.

Prender: ''aperte'' o músculo com força para ''prender'' o pênis dentro de você.
 

Os utensílios da técnica


Produtos pompoarismo
1. Bolas tailandesas: leves indicadas para as novatas, fortalecem rapidamente a região vaginal. A força utilizada no exercício deve respeitar a sua capacidade de contração.
2. Colar tailandês: com cinco bolinhas, enfatiza a coordenação para os exercícios. ao introduzi-lo, o canal vaginal se contrai espontaneamente. use-o dez minutos por dia.
3. Bolas Ben-Wa: tem duas ou quatro bolinhas e facilita o movimento de sugar e expulsar o pênis. Recomendado para quem já treina há algum tempo.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Guia básico sobre vibradores

 
Um guia básico sobre vibradores, pra quem quer se divertir sozinha… Ou apimentar o sexo

 

Opções diferentes de vibradores
 
1. Qual é a diferença entre os tipos de vibradores?
Há três tipos: os de estímulo externo, que focam as atenções no clítoris; os de estimulo externo, usados para penetração; e o que cumpre as duas funções ao mesmo tempo!
2. Eles causam alergia?
Sim, por isso é essencial que você fique atenta às letras miúdas da embalagem. Se for alérgica à látex, por exemplo, procure modelos de silicone.
3. Quanto tempo dura um vibrador? Isso depende muito de como você faz a higienização e de onde guarda o seu vibrador. A vida útil média é de sete anos - mas, se bem cuidados, os brinquedinhos podem durar até dez.
4. Dá pra testar? Sim! Mas só com as mãos… Antes de comprar, explore muito bem o apetrecho. É importante sentir o objeto para saber se é agradável ao toque e se não tem pontas que podem vir a machucar.
5. Como limpar?
Nada de usar álcool ou outros produtos de limpeza! Se o vibrador não for elétrico, água e sabonete neutro bastam. Se for, o melhor é usar spray antibactericida. Depois, seque com uma toalha limpa ou papel.
6. Onde guardar?
Em um saquinho ou uma bolsa de feltro ou seda, armazenada em um local sem umidade.
7. Pode emprestar?
Nunca! Quem compartilha um vibrador está se expondo ao risco de contrair alguma DST. Entre as doenças que podem ser passadas por meio do brinquedinho estão HPV,herpes, molusco contagioso e até mesmo HIV.
8. Posso usar qualquer tipo de lubrificante? Não. Os lubrificantes à base de glicerina não são recomendados, porque reagem com o plástico do vibrador e podem mudar o pH da vagina. Prefira fórmulas à base de água.
9. Posso usar o vibrador na vagina e no ânus?
Poder, pode. Mas aí o cuidado na higienização tem de ser redobrado, porque as bactérias do intestino podem provocar infecção urinária e corrimentos. O ideal é usar camisinha, para evitar o risco da autocontaminação.

Simulador de sexo oral


O maravilhoso mundo dos produtos eróticos apresenta mais uma novidade para a ala feminina: Sqweel, um simulador de sexo oral! O produto faz o serviço através de dez línguas de silicone rotativas, que tem controle de velocidade.
Vejam o que Tracey Cox,  escritora australiana  na área de sexologia e relacionamentos, disse sobre sua experiência com o brinquedinho: Sqweel é completamente diferente de um vibrador, mas também não é uma língua, e é o mais próximo que você pode alcançar de um simulador de sexo oral. É uma sensação totalmente diferente e tão parecida com a língua humana que pode assustar. Ao possuir um Sqweel e um vibrador o seu namorado deverá ficar seriamente preocupado.

E aí, meninas? Vocês se animariam em experimentar essa novidade?
Acesse nosso site e confira !!! www.anjosado.com.br

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

10 pontos para ter um relacionamento saudável

10 pontos para ter um relacionamento saudável

Viver aquela paixão de cinema ou fazer parte do ‘viveram felizes para sempre’ é o grande desejo da maioria das pessoas, mas esta não é uma missão muito fácil. Afinal, quando tratamos de sentimentos, pessoas e personalidades diferentes manter um relacionamento saudável não é tão simples como parece e requer outras condutas além de amar e desejar.

 Para manter o companheirismo vivo é preciso conquistar diariamente o seu parceiro. Para isso é importante fazer um balanço a fim de manter a relação mais leve e, claro, você e ele mais feliz.

Então, se o casamento não está passando por uma boa fase, a coach e especialista em comportamento humano, Roselake Leiros, lista 10 sugestões para saber como anda o seu relacionamento e ajudá-la a torná-lo mais saudável a cada dia.

Respeito - É uma característica essencial para obter sucesso no relacionamento. As diferenças precisam ser respeitadas, sejam elas de gostos, personalidades, visões, objetivos pessoais, profissionais, entre outros. Você tem respeitado os pontos de vista do seu parceiro? Quando uma das partes se anula e abre mão de toda sua vida em nome do outro não é saudável, o interessante em um relacionamento é o "ganha X ganha", ou seja, um acrescenta coisas positivas na vida do outro.

Liberdade - Neste caso, a liberdade tanto pessoal, quanto do casal precisam ser preservadas. Um tem que permitir ao outro o exercício de vontades próprias, afinal um relacionamento não é uma prisão. Porém, o excesso também pode prejudicar provocando o afastamento. O casal também precisa ter liberdade, de forma que o excesso de vida social e convivência com amigos e familiares podem afastá-los e prejudicar a relação.

Comunicação - Não existem espaços para suposições e "achismos" dentro do relacionamento. O entendimento é imprescindível, se você possui dúvidas esclareça-as com seu parceiro, se cada um tem uma opinião é preciso uma conversa para entrar em um acordo, nas brigas é sempre preciso o entendimento. A falta de comunicação é a maior inimiga dos amores.

Admiração - A admiração é o inicio de qualquer relacionamento. No momento da conquista, a admiração estética até pode prevalecer mas posteriormente é importante que cada um continue a cultivar em si as melhores coisas e a focar os pontos bons de seu parceiro. Portanto o relacionamento vai se estruturando com base na admiração de um pelo outro.

Ciúme - Na medida certa pode ajudar a manter o relacionamento vivo e aquecido, porém os excessos podem ser fatais. É legal saber que o meu companheiro (a) se importa comigo, mas não é legal viver com desconfianças e acusações. Equilibre o ciúme e torne-o um aliado, um bom tempero.

Companheirismo - Relacionamento afetivo pressupõe a partilha da vida com o outro. É preciso compartilhar 100% dos problemas, conquistas, opiniões, sentimentos e desejos, também apoiar as decisões, mesmo quando estas não correspondem com os seus pontos de vista.

Responsabilidade - Os dois têm responsabilidade de tudo, já se foi o tempo em que a mulher era educada para administrar o lar e o homem para trabalhar fora e prover. Hoje, vivemos numa sociedade em que homens e mulheres dividem o mesmo espaço, e desta, forma as responsabilidades com contas, deveres do lar, educação e cuidados dos filhos e administração dos bens devem ser divididas ou estabelecidas, em conjunto, de acordo com as necessidades do dia-a-dia.

Objetivos - O casal deve ter objetivos comuns, além dos pessoais. Planejar uma viagem, a compra de um imóvel, um carro, fazer um investimento, ter os filhos, a educação deles entre outros. Esta prática provoca a união e torna o relacionamento mais forte e prazeroso com as conquistas comuns.

Sexo - Qualidade e quantidade são questões definidas pelo casal, mas a existência de uma vida sexual saudável e boa para os dois é de suma importância em um relacionamento.

Amor - É o que dá sentido a relação a dois. Os itens anteriores são importantes para cultivar, preservar e fortalecer o amor. Mantenha-o sempre a frente como um estandarte da relação. Um relacionamento com amor sobrevive às dificuldades naturais da vida a dois.